Album de bacterias filamentosas

Álbum de bactérias filamentosas

A identificação de bactérias filamentosas é uma excelente ferramenta para monitorar a saúde da biomassa. Identificando os tipos de filamentos presentes na amostra, é possível determinar como está o funcionamento do sistema.

Na identificação das filamentosas destacam-se o desenvolvimento e aplicação de métodos clássicos, baseando-se em características morfológicas, bioquímicas e de coloração. É observada a presença de ramificações, mobilidade, forma do filamento, localização, dimensão, crescimento de bactérias sésseis, bainha, forma das células, septos e indentações, inclusões de enxofre e PHB, e reação às colorações (Gram e Neisser).

A Genética Group, além de realizar a identificação de bactérias filamentosas em seus relatórios de microscopia aeróbia, também disponibiliza um álbum online com imagens próprias, obtidas no Setor de Microscopia, para apoio à identificação das mesmas. Para maiores informações, navegue pelo álbum abaixo e descubra quais são os tipos de bactérias filamentosas mais encontradas em sistemas de lodos ativados, como surgem, suas características e o que causam no sistema.

Clique no tipo de bactéria filamentosa e saiba mais sobre ela:

Sphaerotilus natans

Sphaerotilus natans

Filamento relativamente longo (100-1000µm), reto ou ligeiramente curvo, com diâmetro variando de 1-1,8µm. Suas células são claramente observáveis em formato de haste (1-1,8µm x 1,5-3,0µm) com as extremidades arredondadas (formato de salsicha) ou ainda de forma retangular quando encontram-se empacotadas dentro de uma bainha transparente e justa. Apresenta ramificações falsas e o crescimento de bactérias sésseis é raramente observado. A coloração é Gram e Neisser negativos. Não possui grânulos de enxofre ou de polifosfato, mas podem ser observados grânulos de PHB. Essa filamentosa é aeróbia obrigatória, mas sobrevive em ambientes de baixo oxigênio dissolvido e alto F/M.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 15

Tipo 0675

Tipo 0675

Filamento relativamente pequeno (30-150µm de comprimento e 0,7-1,0µm de diâmetro), imóvel, reto ou ligeiramente curvo, sem ramificações. Suas células são quadradas (0,7-1,0µm) com septos claramente visíveis. Possui bainha, a qual geralmente é coberta pelo crescimento de bactérias sésseis. A coloração na maioria das vezes é Gram positiva, porém, se estiver coberta de crescimento séssil pode apresentar-se como Gram variável, devido à penetração dificultada do corante. Em instalações industriais, frequentemente é vista como Gram negativa. A coloração de Neisser é negativa e raramente apresenta grânulos Neisser positivos. Podem apresentar cobertura Neisser positiva em instalações onde há carência de nutrientes. Não possui grânulos de enxofre. Esta filamentosa está associada à elevada idade de lodo, carência nutricional e/ou baixo F/M.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 18

Tipo 021N

Tipo 021N

Filamento relativamente grande (100->1000µm de comprimento e 0,8-2,0µm de diâmetro), imóvel, reto ou ligeiramente curvo ou convoluto e sem ramificações. Causa frequentemente a formação de pontes, quando se estende da superfície do floco, também podendo formar rosetas. As células são bem variáveis, podendo ser ovais, retangulares, quadradas ou em forma de barril e medem 1,0-2,0µm x 1,0–2,0µm. Possui septos bem definidos com indentações. É comum observar-se células discoidais na base do filamento (0,4-0,7µm x 1,0-2,0µm). Não apresenta bainha nem crescimento de bactérias sésseis e o tricoma termina numa gonídia. É Gram e Neisser negativos, podendo apresentar grânulos Neisser positivos. Pode conter grânulos de enxofre, o que a torna Gram positiva débil. Essa filamentosa cresce em efluentes sépticos ou que contenham grande quantidade de sulfuretos e/ou ácidos orgânicos, carência de nutrientes, baixo F/M e/ou grandes concentrações de substratos rapidamente biodegradáveis. 

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 19

Tipo 1701

Tipo 1701

Filamento relativamente curto (10-100µm de comprimento e 0,6-0,8µm de diâmetro), imóvel, inclinado ou ligeiramente curvo, sem ramificações. Suas células tem formato de bastonetes com a extremidade arredondada (forma de salsisha) medindo 0,7-1,0µm x 1,0-2,0µm dentro de uma bainha transparente justa. Geralmente apresenta crescimento séssil abundante, porém, pode ser visto sem crescimento séssil e projetando-se para fora do floco, o que indica um crescimento acelerado, não permitindo sequer a colonização. O filamento é Gram e Neisser negativos. Não possui grânulos de enxofre, mas é observado com frequência apresentando grânulos de PHB. Pode estar associado ao bulking, indicando insuficiência de oxigenação no meio.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 22

Tipo 0041

Tipo 0041

Filamento de grandes dimensões (100-500µm de comprimento e 1,2-1,6µm de diâmetro), imóvel, reto ou ligeiramente curvo, sem ramificações e contendo células quadradas (1,2-1,6µm x 1,5-2,0µm). Possui bainha e os septos são claramente visíveis. Em efluentes industriais cresce de forma acelerada, não permitindo a colonização da bainha por bactérias sésseis. Geralmente é Gram positiva, porém, se estiver coberta de crescimento séssil pode aparecer como Gram variável, devido à penetração dificultada do corante. Em instalações industriais, frequentemente é vista como Gram negativa. A coloração de Neisser é negativa e raramente apresenta grânulos Neisser positivos. Pode apresentar cobertura Neisser positiva em instalações onde há carência de nutrientes. Grânulos de enxofre ausentes. Esta filamentosa está associada à elevada idade de lodo, carência nutricional e/ou baixo F/M.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 24

Thiothrix I

Thiothrix I

Filamento relativamente grande (100-500µm de comprimento e 1,4-2,5µm de diâmetro), imóvel, reto ou ligeiramente curvo, sem ramificações. Formam pontes quando se estendem da superfície de um floco. As células são retangulares (1,4-2,5µm x 3,0-5,0µm) com septos claramente visíveis e sem indentações. Possui bainha, mas raramente é observado crescimento de bactérias sésseis. O filamento é Gram e Neisser negativos, podendo apresentar grânulos Neisser positivos, de enxofre e de PHB. Quando há muitos grânulos de enxofre ou quando a bainha é muito espessa, impedindo uma boa descoloração, o filamento pode resultar em Gram positivo. Ainda pode-se observar a formação de rosetas, presença de gonídias e de um tricoma de diâmentro descrescente da base para a região apical. Esta filamentosa está associada a problemas de bulking quando o sistema apresenta esgotos sépticos contendo níveis elevados de sulfuretos e ácidos orgânicos (apresenta grande número de grânulos de enxofre), e carência de nutrientes (apresenta grânulos de PHB). Pode sobreviver em condições anaeróbias desde que esteja na presença de fontes de enxofre.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 26

Thiothrix II

Thiothrix II

Filamento de médias dimensões (50-200µm de comprimento e 0,7-1,4µm de diâmetro), imóvel, reto ou ligeiramente curvo, sem ramificações, se entendendo da superfície do floco. As células são retangulares (0,7-1,4µm x 1,0-2,0µm) com septo celular claramente visível, mas sem indentações. A bainha é geralmente difícil de detectar e raramente se observa crescimento de bactérias sésseis. É Gram e Neisser negativos, podendo conter grânulos de enxofre, de PHB e de Neisser positivos. Filamento geralmente se estreita da base até o ápice e pode formar rosetas ou gonídias. Esta bactéria filamentosa é indicadora da presença de esgotos sépticos, carência de nutrientes ou presença de alta concentração de substratos carbonados rapidamente biodegradáveis.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 28

Tipo 0914

Tipo 0914

Filamento relativamente pequeno (50-200µm de comprimento e 0,6-1,2µm de diâmetro), imóvel, reto ou levemente curvo, sem ramificações. As células são quadradas (0,7 x 1,0µm) e não possui bainha. Pode estar projetando-se para fora do floco ou livres na solução. Pode conter grânulos de enxofre e de PHB. A coloração do filamento é Gram negativo ou Gram positivo, quando há grânulos de enxofre presente, e Neisser negativa com grânulos Neisser positivos. Geralmente encontrado em ambientes com resíduos sépticos e sulfetos, e baixo F/M com açúcares simples e ácidos orgânicos. 

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 30

Beggiatoa spp

Beggiatoa spp.

Filamento relativamente grande (100-500µm de comprimento e 1,2-3,0µm de diâmetro), móvel, reto e sem ramificação. As células são retangulares (1-3 x 4-8µm). Os filamentos são encontrados livres na solução e possuem um movimento de deslizamento e flexão, que o torna fácil de identificar. A coloração é Gram negativo, podendo ser Gram positivo se houverem grânulos de enxofre presente. É Neisser negativo com grânulos Neisser positivos observados com frequência. Podem conter grânulos de enxofre, tornando os septos celulares não visíveis. Não possui bainha nem crescimento séssil. Este filamento é geralmente encontrado em ambientes onde há resíduos sépticos, sulfetos e grande quantidade de compostos reduzidos de enxofre.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 32

Tipo 1851

Tipo 1851

Filamento de tamanho médio (100-300µm de comprimento e 0,5-0,7µm de diâmetro), imóvel, reto ou dobrado, sem ramificações. As células são retangulares (0,8 x 1,5-2,5µm) e não há septos definidos. Normalmente são observados como feixes na solução. A coloração é Gram negativa, mas pode ser Gram positiva com tonalidade fraca e Neisser negativo. Geralmente fácil de identificar devido ao crescimento séssil anexado, que é perpendicular à superfície do filamento. Não possui grânulos de enxofre e a bainha está presente, mas às vezes é difícil de observar. Este filamento é geralmente encontrado em ambientes onde há baixo F/M e DBO e alta idade de lamas.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 34

Tipo 0803

Tipo 0803

Filamento relativamente pequeno (50-150µm de comprimento e 0,7-0,8µm de diâmetro), imóvel, reto ou levemente curvo, sem ramificações, estando estendido na superfície do floco ou livre na solução. As células são retangulares (0,8 x 1,5-2,0µm) e fáceis de ver. Não possui bainha, crescimento de bactérias sésseis nem grânulos de enxofre. A coloração é Gram e Neisser negativos, sem grânulos intracelulares. Esta filamentosa está associada a valores de F/M baixos.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 37

Tipo 0092

Tipo 0092

Filamento relativamente pequeno (10-60µm de comprimento e 0,8-1,0µm de diâmetro), imóvel, reto ou dobrado de forma irregular, que se desenvolve principalmente no interior no floco e não possui ramificações. As células são retangulares (0,8 x 15µm) com septo pouco visível e sem indentações. Não apresenta bainha, grânulos de enxofre nem crescimento de bactérias sésseis. A coloração é Gram negativo e Neisser positivo. Pode conter grânulos intercelulares e o tricoma fica mais espesso após a coloração de Neisser. Causa problemas de bulking pela formação de flocos de malha larga. Está associado a instalações que operam com F/M baixo ou muito baixo e longa idade de lodo.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 40

Tipo 0961

Tipo 0961

Filamento relativamente curto (40-150µm de comprimento e 0,8-1,4µm de diâmetro), imóveis, reto, sem ramificações, que se estende da superfície do floco. As células são retangulares e irregulares (0,8-1,4 x 1,5-4µm) com um tricoma rígido. O filamento pode às vezes ser visto em feixes, quando encontrado abundantemente. A coloração é Gram e Neisser negativos, sem inclusões celulares. Não apresenta crescimento séssil. Geralmente fácil de identificar devido à sua aparência transparente em algumas partes do tricoma, sem quaisquer estruturas internas. Não possui grânulos de enxofre nem bainha verdadeira, mas por vezes observa-se um revestimento viscoso que pode ser confundido com uma. Está associado a baixos valores de F/M e efluente contendo compostos facilmente biodegradáveis.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 41

Microthrix parvicella

Microthrix parvicella

Filamento estreito (diâmetro <1µm) mas longo (100-400µm), imóvel, sem ramificações, de forma irregular e convoluta, desenvolvendo-se no interior do floco formando emaranhados ou novelos e causando problemas de foaming e bulking. As células não são visíveis, não possui bainha, grânulos de enxofre nem crescimento séssil. Podem aparecer espaços vazios dentro do tricoma, que podem ser confundidos com a existência de uma bainha. A coloração é Gram positiva e Neisser negativa com grânulos Neisser positivos. Os grânulos de PHB intracelulares podem dar efeito frisado ao tricoma. O crescimento dessa bactéria filamentosa é favorecido por vários fatores que podem aparecer combinados ou isolados: F/M baixo, longa idade de lodo, alto conteúdo de óleos e gorduras e baixa concentração de oxigênio dissolvido. O crescimento excessivo desta filamentosa acontece predominantemente na primavera e em instalações com remoção biológica de nutrientes, acompanhado do aparecimento de nitritos. É uma causa comum de formação de espuma, que se caracteriza por ser castanha e espessa.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 43

Nocardia spp

Nocardia spp.

Filamento irregular, <200µm de comprimento e <1,0µm de diâmetro, imóvel e dotado de ramificações verdadeiras, desenvolvendo-se no interior do floco ou livre na solução. As células não são observáveis ao microscópio óptico, no entanto, são irregulares e sem indentação (1,0 x 1,0-2,0 um). Não possui bainha, grânulos de enxofre nem crescimento séssil. A coloração é Gram positiva e Neisser negativa com grânulos positivos Neisser e PHB. É a causa mais comum de formação de espumas, sendo ela espessa e de coloração castanha. Esta filamentosa está associada a efluentes com elevado conteúdo de óleos e gorduras ou substâncias tensoativas e a instalações com elevada idade de lama, geralmente superior a 9 dias, baixo F/M e deficiente oxigenação.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 45

Nostocoida limicola I

Nostocoida limicola I 

Filamento de tamanho médio (100-200µm de comprimento e 0,6-0,8µm de diâmetro), imóvel, inclinado ou convoluto, podendo estar no interior do floco ou na solução. As células são ovais ou em forma de disco (0,6-0,8µm x 0,6-0,8µm). Não apresenta bainha nem crescimento séssil. A coloração é Gram e Neisser positivos, sem presença de grânulos de enxofre. Esta filamentosa está associada a efluentes com longa idade de lamas, baixo F/M, carência de nutrientes e baixa concentração de oxigênio dissolvido.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 47

Nostocoida limicola II

Nostocoida limicola II

Filamento com dimensões superiores a N. limicola I, apresentando 100-200µm de comprimento e 1,2-1,4µm de diâmetro. Apresenta células ovais, discóides ou redondas com septos e indentações visíveis. Não apresenta bainha, grânulos de enxofre nem crescimento séssil. Pode apresentar grânulos de PHB, as respostas à coloração de Gram e Neisser são variáveis e podem apresentar ramificações verdadeiras. Esta filamentosa está associada a efluentes com longa idade de lama, baixo F/M, carência de nutrientes e baixa concentração de oxigênio dissolvido. 
 

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 49

Nostocoida limicola III

Nostocoida limicola III

Filamento de grandes dimensões (200-300µm de comprimento e 1,6-2,0µm de diâmetro), imóvel, com crescimento convoluto estendendo-se para além da superfície do floco. As células são grandes e ovais (1,6-2,0µm) com septo e indentação claramente visíveis. Não possui bainha nem grânulos de enxofre, no entanto, podem-se observar grânulos de PHB. A coloração geralmente é Gram e Neisser positivos. Esta filamentosa está associada à longa idade de lodo, F/M baixo, carência de nutrientes e baixa concentração de oxigênio dissolvido .

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 51

Haliscomenobacter hydrossis

Haliscomenobacter hydrossis 

Filamento de pequenas dimensões (20-100µm de comprimento e 0,5µm de diâmetro), imóvel, reto ou inclinado, sem ramificações, que pode ser encontrado estendido para fora da superfície do floco ou na solução. Apresenta bainha, mas essa só é visível quando espaços vazios aparecem ao longo do tricoma, podendo ser observado crescimento de bactérias sésseis. Não possui células visíveis, septos celulares, grânulos intracelulares nem de enxofre. A coloração é Gram e Neisser negativos. O crescimento desta filamentosa é associado a instalações com insuficiente oxigenação, baixo valor de F/M, carência nutricional e/ou elevadas concentrações de substâncias rapidamente biodegradáveis.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 53

Tipo 0581

Tipo 0581

Filamento de dimensões médias (100-200µm de comprimento e 0,5-0,8µm de diâmetro), imóvel, levemente enrolado, sem ramificações, com células retangulares. É encontrado principalmente dentro da estrutura dos flocos, mas pode estar presente livre na solução. A coloração é Gram e Neisser negativos. Não apresenta crescimento séssil, grânulos de enxofre nem bainha. Este filamento é geralmente encontrado em ambientes onde há baixo F/M. 

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 55

Tipo 1863

Tipo 1863

Filamento de pequenas dimensões (20-50µm de comprimento e 0,8µm de diâmetro), imóvel, sem ramificações, de forma irregular que se desenvolve no interior do floco ou na solução. As células são ovais com indentações ao septo (0,8-1,2 x 1,5µm). Não apresenta bainha, grânulos de enxofre nem crescimento séssil. A coloração é Gram e Neisser negativos, mas pode haver grânulos Neisser positivos. Este filamento é observado ocasionalmente como uma causa de formação de espuma. Normalmente não causa problemas de bulking, porém, pode causar foaming pela sua tendência a crescer em solução. Está associado a instalações com baixa concentração de oxigênio dissolvido, elevada concentração de substâncias rapidamente biodegradáveis, presença de óleos e gorduras e elevado F/M.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 57

Tipo 0411

Tipo 0411

Filamento relativamente pequeno (50-150µm de comprimento e 0,8 de diâmetro), imóvel, de formato irregular e com nenhuma ramificação. As células são arredondadas e parecem com varetas alongadas (0,9 x 1,5µm). Não possui bainha, crescimento em anexo nem grânulos intracelulares. Pode ser encontrado estendido a partir da estrutura dos flocos. Os septos celulares são claramente observados e a coloração é Gram e Neisser negativos. Esta bactéria filamentosa está associada a efluentes sépticos, com sulfuretos ou orgânicos, que também pode ser associado com a geração de ácidos orgânicos.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 01