Mercado da Biotecnologia no Mundo

Mercado da biotecnologia no mundo

O mercado global de biotecnologia cresceu no período 2002-2006 a uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 13,4% e gerou receitas de US$ 153,7 bilhões no ano de 2006, para uma base de U$ 92,9 bilhões em 2002.

As Américas lideram o mercado global de biotecnologia, respondendo por 58,3% das receitas geradas em 2006. Em segundo lugar, situa-se a região da Ásia e Pacífico que gerou 23,9% das receitas globais no ano de 2006.

Atualmente existem 139 setores distintos que utilizam a biotecnologia em seus produtos ou serviços. Em 2006, o setor de medicina e saúde humana foi o que mais se destacou, gerando receitas de US$ 96,2 bilhões, equivalentes a 62,5% do valor do mercado global de biotecnologia. Os setores de agricultura e alimentos contribuíram com receitas de US$ 17,7 bilhões nesse mesmo ano, correspondendo a uma participação de 11,5% do mercado de biotecnologia.

A Figura RE-1 apresenta o posicionamento de 35 países em termos do número de suas empresas, públicas ou privadas, que atuam em biotecnologia e biociências. Deve-se ressaltar que foram analisados 35 países e que os EUA e a Argentina não foram incluídos nesse estudo.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 02                              ...

                                                                                                                                                                                                Fonte: GLOBAL BIOECONOMY CONSULTING LLC (2006).

Figura RE-1: Posicionamento dos países em termos do número de suas empresas que atuam em biotecnologia e biociências.

Como pode ser observado na Figura RE-1, o país que atualmente concentra o maior número de empresas em biotecnologia é a Índia. Na sequência do ranking, situam-se em destaque a Coréia do Sul, o Canadá, a Alemanha e a China. O Brasil aparece nesse ranking em 11° lugar.

Com potencial de criação de cerca de 1 milhão de novos empregos até 2010, a indústria biofarmacêutica da Índia poderá gerar US$ 2 bilhões naquele ano, por meio do desenvolvimento de vacinas e biogenéricos, sendo que o desenvolvimento de serviços clínicos naquele país pode alcançar um montante de aproximadamente US$ 1,5 bilhões, considerando-se o mesmo horizonte temporal.

Esses dados colocam a Índia em uma posição de destaque no cenário de biotecnologia mundial. Dentre os aspectos mais relevantes que contribuem para o posicionamento favorável da Índia, destaca-se a oferta de mão-de-obra altamente qualificada. A Índia possui mais de 300 instituições educacionais de alto nível que oferecem cursos em biotecnologia, bioinformática e ciências biológicas, formando cerca de 500.000 estudantes por ano. Possui ainda, mais de 100 universidades de medicina, que formam cerca de 17.000 profissionais por ano. Mais de 300.000 pós-graduandos e PhDs são qualificados anualmente nas áreas de biociências e engenharia. A participação do governo em incentivos para esse setor é muito determinante. O Estado contribui para a qualificação da mão-de-obra, provê infraestrutura laboratorial apropriada para o desenvolvimento de pesquisa na área, incentiva a criação de ambientes propícios à inovação (incubadoras de empresas e parques tecnológicos) e cria mecanismos (marcos regulatórios) que viabilizam a consolidação da biotecnologia em diversas áreas.

O Brasil ocupa o 5º lugar entre os países que mais empregam no setor de biotecnologia, seja em empresas privadas, públicas ou em institutos de pesquisas, após China, Suécia, Japão e Dinamarca (Figura RE-2). Embora tenha grande potencial em termos de desenvolvimento e pesquisa na área de biotecnologia, o Brasil ainda não apresentou indicadores significativos no que se refere à incorporação desse conhecimento em produtos e processos, em escala industrial. De fato, as informações apresentadas nas seções anteriores mostraram que, no período 1998-2007, o Brasil situou-se em posições bastante favoráveis em relação à produção científica mundial nos 14 temas de áreas de fronteira abordados, situação que não se repetiu quando foram pesquisados os indicadores de propriedade intelectual no mesmo período.

Genética Tecnologias Ambientais: Engenharia Ambiental, Energias Renováveis, Tecnologias Biológicas, Químicas e Analíticas Novo Conteúdo 01 Fonte: GLOBAL BIOECONOMY CONSULTING LLC (2006). Figura RE-2: Posicionamento dos países em...

Fonte: GLOBAL BIOECONOMY CONSULTING LLC (2006).

Figura RE-2: Posicionamento dos países em relação ao número de empregados em empresas e instituições ligadas à biotecnologia.

Os EUA sempre se mantiveram em primeiro lugar no desenvolvimento e consolidação da biotecnologia em relação a quase todos os quesitos. O país lidera em investimentos em P&D, chegando a US$ 285 bilhões, comparados a US$ 211 bilhões pela União Européia, US$ 114 bilhões investidos pelo Japão e US$ 85 bilhões pela China. Esse alto apoio financeiro provoca impactos diretos na capacidade do país em associar as atividades de pesquisa em biociências às indústrias.